Laboratório portátil que usa um iPhone para detectar cancro

Um grupo de investigadores liderado pelo professor assistente Lei Li, da Universidade Estadual de Washington (WSU), nos Estados Unidos, desenvolveu um laboratório portátil que permite a realização de testes de detecção de cancro. Este laboratório usa como componente central um smartphone: um iPhone 5, conseguindo análises com 99% de precisão, com resultados quase imediatos.

A metodologia que se encontra por detrás deste laboratório móvel, socorre-se de um espectrómetro constituído por oito canais capaz de analisar até oito amostras diferentes de uma só vez, sendo a análise efectuada pela medição do espectro de luz, o que permite a determinação da quantidade e tipo de substâncias químicas presentes em cada amostra.

Por ser capaz de detectar a Interleucina-6 (IL-6) em humanos (interleucina que está na origem do desenvolvimento dos cancros de pulmão, próstata, fígado, mama e epiteliais), possuí um grande impacto na detecção e pesquisas relacionadas com o cancro a nível mundial.

Além de poder ser útil em hospitais e clínicas, a sua portabilidade permite que seja usado em qualquer lugar do mundo, onde seja, por exemplo, difícil fazer testes de diagnóstico/ detecção de cancro.

O estudo da equipa do professor Li, acabou de registar uma patente provisória pelo trabalho e foi descrito num artigo que vai ser publicado na edição de janeiro de 2017 da revista Biosensors and Bioelectronics, intitulado de “A multichannel smartphone optical biosensor for high-throughput point-of-care diagnostics”.

Fonte: zap.aeiou.pt, artigo escrito a 1 de Novembro de 2016