Constituinte da cebola pode abrir portas para o combate ao cancro

Grupo de investigadores da Universidade de Kumamoto, no Japão, extraiu uma substância natural da cebola, denominada “onion A” (ONA) e introduziu-a em ratos com tumor epitelial de ovário. Sendo que este tipo de doença oncológica apresenta apenas uma taxa de sobrevivência de 40%, esta descoberta permitiu um aumento de sobrevivência, prolongando a vida das cobaias tratadas, com redução do desenvolvimento dos seus nódulos.

Desta forma foi possível comprovar que a substância ONA extraída consegue inibir as funções pró-tumorais de mielóides derivadas de células supressoras (MDSC), que estão intimamente associadas à supressão da resposta imune anti-tumor dos linfócitos do hospedeiro, utilizando o modelo pré-clínico do sarcoma. Além do mais, também se descobriu que o ONA melhora os efeitos dos fármacos anti-tumurais, reforçando as suas capacidades anti-proliferativas.

Para além deste benefício anti-tumural, também foi verificado que os ratos não sofreram quaisquer tipos de efeitos adversos significativos, o que poderá permitir, com recurso a mais testes, a criação um suplemento oral à base de ONA para tratamento do cancro do ovário.

Contudo, ainda é uma descoberta precoce que necessita de muitos mais testes para se conhecer de facto este componente e suas propriedades, de forma a avaliar se é efetivamente eficiente contra os tumores em humanos e se simplesmente ingerir cebola ajuda a prevenir ou mesmo a tratar a doença e de que forma.

Fonte: Artigo retirado de www.movenoticias.com, artigo escrito a 28 de outubro 2016